Alguém

Informações

Nome do Cântico: Alguém

Autor(a): Vigararia: Sintra / Paróquia: Cacém

História: Música concorrente ao XX Festival Diocesano da Canção Cristã (Lisboa - 2015)

Inserido em: 30 de Agosto de 2017

Intro: Ré Fá#- Mi- Lá (2x)


Ré        Fá#-                                  Mi-          Lá

Alguém que dá tudo o que tem,

Ré                                      Fá#-                    Mi-          Lá

Sem medo de se entregar, fez pelo bem.

Ré        Fá#-                                  Mi-          Lá

Alguém que está perto de quem,

               Ré                              Fá#-                       Mi-                Lá

Mais precisa, e com um sorriso alegra alguém, alguém


Si-          Fá#-         Sol                                 Lá

Jeito suspeito, amor mais que perfeito

Si-             Fá#-       Sol                              Lá

Sente diferente, um coração ardente.


Sol           Lá            Fá#-                    Si-

E assim, vê a luz nos olhos do mundo,

Mi-                      Ré                     Lá

Num sorriso de amor profundo,

Sol             Lá                          Fá#-                   Si-

De  quem vive para dar, e assim sou feliz 

                     Mi-                       Lá                           Ré

Porque O posso, posso, posso contemplar!


Alguém que não julga ser,

No seu coração o mundo irá acolher.

Alguém que despe a razão,

E por amor ao seu irmão lhe pede perdão, perdão

Jeito suspeito, amor mais que perfeito

Sente diferente, um coração ardente.

E assim, vê a luz nos olhos do mundo,

Num sorriso de amor profundo,

De quem vive para dar, e assim sou feliz

Porque O posso, posso, posso contemplar!

Alguém que dá tudo o que tem, Sem medo de se entregar, fez pelo bem. Alguém que está perto de quem, Mais precisa, e com um sorriso alegra alguém, alguém Jeito suspeito, amor mais que perfeito Sente diferente, um coração ardente. E assim, vê a luz nos olhos do mundo, Num sorriso de amor profundo, De quem vive para dar, e assim sou feliz Porque O posso, posso, posso contemplar! Alguém que não julga ser, No seu coração o mundo irá acolher. Alguém que despe a razão, E por amor ao seu irmão lhe pede perdão, perdão Jeito suspeito, amor mais que perfeito Sente diferente, um coração ardente. E assim, vê a luz nos olhos do mundo, Num sorriso de amor profundo, De quem vive para dar, e assim sou feliz Porque O posso, posso, posso contemplar!
Ainda ninguém gosta deste cântico.